Félix se tornará presidente do San Magno. Paloma será..

2 de outubro de 2013

Félix (Mateus Solano) se tornará presidente do Hospital San Magno nos próximos capítulos de “Amor à vida”, confira..


O vilão chantageará a tia, Priscila (Cristina Mutarelli), e o primo, Pérsio (Mouhamed Harfouch), e conseguirá votos a seu favor. Paloma (Paolla Oliveira) será eleita vice-presidente.

Sem chegarem a um acordo amigável, César (Antonio Fagundes) e Pilar (Susana Vieira) partirão para o divórcio litigioso. Com raiva por ter sido traída e abandonada, a médica se mostrará decidida a ficar com metade da parte do ex-marido no hospital, ou seja, 40%. Pressionada pelo filho, Pilar resolverá ainda lutar para dar a ele a presidência do San Magno.

Sílvia (Carol Castro), advogada de Pilar, dirá que ela tem grandes chances de vencer nos tribunais, mas deixará claro que será difícil garantir o cargo de presidente para Félix, uma vez que tudo depende da votação do conselho. O administrador ficará preocupado.

- E nesse ponto estamos fracos, porque a tia Priscila tem 10%, o doutor Lutero (Ary Fontoura), que me abomina, mais 5%, e a Vega (Christiane Tricerri), que representa o Atílio (Luis Melo), mais 5%. É uma conta fácil - refletirá ele.

Félix e Pilar, então, sairão à caça de votos. Eles tentarão convencer Priscila, mas ela acabará deixando claro seu apoio ao irmão, César. Já Vega garantirá seu voto ao vilão. Prevendo uma derrota, o administrador tratará de armar um plano para conseguir a todo custo os 10% da tia.

Ele pedirá a Glauce (Leona Cavalli) para conversar com Rebeca (Paula Braun), namorada de Pérsio, com o objetivo de descobrir como a judia lida com o fato de namorar um palestino. A médica residente se abrirá com a obstetra:

- Seria difícil convencer os meus pais, ainda mais se eles soubessem que o Pérsio lutou na guerra contra o  nosso povo. Seria como trair o meu povo, aos olhos de muitos judeus. Mas os meus pais não vão saber, até eu achar que é a hora. Se eles descobrissem agora, iam querer que eu escolhesse eles ou o Pérsio. E eu não estou pronta.

Glauce contará tudo para Félix, que festejará a notícia. No dia da audiência do divórcio, a médica dirá ao filho que não está confiante na conquista do cargo mais alto do hospital, mas ele tranquilizará a mãe.

- Eu sei, mamy, mas eu estou mexendo os meus pauzinhos - dirá, referindo-se ao plano envolvendo o casal de médicos.

Diante do juiz, Sílvia e Rafael (Rainer Cadete) defenderão seus respectivos clientes. Logo haverá uma discussão entre Félix e César, em que o médico acusará o filho de querer a presidência a qualquer custo. Paloma defenderá o pai e também atacará a ambição do administrador. Terá início mais um bate-boca e César apelará para Pilar:

- Pilar, você sabe muito bem o que significa, para mim, perder uma parte do hospital. Mesmo com a certeza de que eu continuarei presidente, com os votos dos outros sócios, ainda assim você sabe que eu estarei fragilizado. O hospital nunca fez parte da sua vida, como faz parte da minha. Então eu te pergunto, Pilar, em nome de tudo que nós vivemos, das coisas boas que vivemos como casal: você vai insistir em tomar parte do hospital de mim por um capricho? Pilar, você não é assim. Você é generosa.

Abalada, a médica pedirá um recesso. Ela ficará indecisa, para desespero de Félix. O vilão dirá à mãe que ela não pode fraquejar, pois deve manter o patrimônio nas mãos da família, de forma a impedir que o filho de César com Aline (Vanessa Giácomo) tenha mais direitos no futuro. De volta à sala, Pilar dará um depoimento que acabará por decretar sua vitória:

- Se se tratasse apenas de interesse financeiro, eu ficaria com as propriedades que dão lucro e não exigem investimentos altos, contínuos, como o hospital. Mas este hospital, o San Magno, foi fundado pelo pai do meu ex-marido. E o sonho do meu ex-marido era que só um dos nossos filhos assumisse a presidência, para que o hospital permanecesse sempre na família. Mas agora, com esse outro filho do César, há um risco. O senhor já julgou outros casos como o meu. O homem parte, cria uma nova família, tem filhos. O César teve um, pode ter até mais. E mais tarde, os meus filhos podem ser esquecidos na partilha do hospital. Eu tiraria o que é deles se cedesse ao pedido do César. Portanto, Excelência, eu insisto que o hospital seja dividido entre eu e o meu ex-marido. Em nome dos meus filhos.

O juiz decidirá a favor da médica e Félix ficará radiante. Logo será marcada, então, a eleição para a presidência do hospital. O vilão colocará suas ideias em prática e irá atrás de Pérsio:

- Meu primo, eu sempre me perguntei por que você desistiu de voltar para a Palestina tão depressa. Eu descobri o motivo pelo qual você não voltou: a Rebeca. A família da Rebeca não te aceitaria, pelo menos não agora. E eu sofro, priminho, pensando que você pode perder a mulher que ama, a  mulher que fez mudar o seu projeto de vida.

- Para com toda essa lenga lenga, Félix, aonde você quer chegar? – perguntará o médico, já irritado.

- É muito simples. Ou a sua mãe vota em mim para presidente na reunião que vai haver daqui a pouco no hospital ou eu procuro a família da Rebeca, principalmente o avô que foi rabino, e conto quem você é, quem ela está namorando. Eu acabo com a sua linda história de amor.

O médico contará tudo para Priscila e, na hora H da votação, quando Félix e César estiverem empatados com 45% cada, a perua pedirá para o filho escolher. Pérsio, então, votará em Félix, argumentando ser a favor de uma renovação no hospital.


Radiante, o vilão ainda vai propor que o pai seja vice-presidente. César ficará furioso, chamará o filho de bicha e mandará que ele cale a boca. Para minimizar a derrota, o médico indicará Paloma para a vice-presidência e todos concordarão.


Imprimir