Ele pediu à esposa para ser enterrado com todo o dinheiro e você não imagina o que ela fez, confira

10 de julho de 2015

O final desta história é surpreendente, confira..

Grande parte das pessoas pensam em fazer coisas boas, morais e corretas no dia a dia, mas infelizmente, nem todos pensam desta forma. Algumas pessoas mais egoístas, gostam de desfrutar de suas vidas em seus próprios termos, independentemente de como isso afeta os outros, e uma das maneiras mais comuns é serem gananciosas.

Um homem que trabalhou muito duro durante toda a sua vida para ter o seu dinheiro, queria manter tudo para si apenas. E guiado por este tipo de moral, ele esperava que a sua esposa honrasse o seu último desejo depois de ele falecer.

“Era uma vez um homem que tinha passado toda a sua vida trabalhando e que juntara todos os centavos que ganhava.
Ele era realmente muito mão-de-vaca. Ele amava o dinheiro mais do que qualquer coisa, e pouco antes de morrer, ele disse à mulher: “Ouve-me bem! Quando eu morrer, quero que pegue todo o meu dinheiro e o coloque no caixão junto comigo. Eu quero levar todo o meu dinheiro para a minha próxima encarnação.

E obrigou a mulher a prometer de coração que, quando ele morresse, ela iria colocar todo o dinheiro no caixão. Um dia o homem morreu e foi colocado dentro do caixão. A mulher se mantinha sentada a seu lado, toda de preto, acompanhada pelos amigos mais chegados.

Quando terminou a cerimônia, e já se preparavam para fechar o caixão, a mulher disse: “Só um minutinho!
Tinha uma caixa de sapatos com ela. Aproximou-se e colocou-a dentro do caixão, ao lado do corpo. Um amigo lhe disse baixinho: “Espero que não tenha sido doida o suficiente para colocar todo aquele dinheiro dentro do caixão!
Claro que sim” respondeu a mulher. “Eu lhe prometi que colocaria aquele dinheiro junto dele e foi exatamente o que fiz.”

“Está dizendo que colocou tudo o dinheiro, que aquele avarento amontoou durante sua vida, dentro do caixão, junto com ele?”

– Claro que sim! – Respondeu a mulher. – Juntei todo o seu dinheiro, depositei-o na minha conta, fiz um cheque e coloquei-o dentro da caixa de sapatos. Agora, que vá descontá-lo, lá no inferno!



(Créditos: Enquanto isso em Goiás) 


Imprimir