Mulher transexual que injetou cimento no rosto implora ajuda médica para lidar com as consequências

8 de outubro de 2016


Rajee Narinesingh, uma transexual de 48 anos de idade, de Hollywood, Flórida, em 2005, realizou intervenções cirúrgicas no rosto, de forma ilegal, e o resultado foi desastroso...



À época, a transex chegou a ter a pele preenchida com cimento e selante de pneus. Dez anos depois, ela precisa lidar com o crescimento de pequenos nódulos de cimento no rosto e implorou por ajuda médica para realizar uma cirurgia plástica para reconstruir seu rosto.



Em  entrevista em 2014, Rajee disse ter sentido vontade de realizar o procedimento estético por querer se “parecer com uma linda mulher e não com um homem em um vestido”. Porém o resultado foi desastroso e em 2012, ela procurou uma clínica para dar início a um tratamento. Dessa forma, os médicos chegaram a aplicar injeções com uma substância que servia para amolecer o conteúdo do rosto. Porém, disseram que era mais seguro que sua pele fosse deixada como estava – pelos enormes riscos de tentar retirar o cimento.

Após implorar desesperadamente por ajuda na imprensa dos Estados Unidos, os médicos disseram estar dispostos a tentar entender melhor as complicações de seu caso em busca de tentar ajudá-la.

Os médicos alertam que, existem duas grandes preocupações com o procedimento. A primeira se trata de, após a remoção do cimento, um processo inflamatório possa ser ativado e o rosto da paciente acabe tornando-se disforme e sem contornos definidos. A outra é que “as massas que envolvem todos os músculos, nervos e vasos sanguíneos, ao serem removidas, poderiam trazer uma série de danos à pele, além de ferir os nervos”, disse o Dr. Paul Nassif, que juntamente com o Dr. Terry Dubrow, realizaria gratuitamente a cirurgia.


Hoje em 2016 Rajee aparece bem diferente, após alguns procedimentos realizados pelos cirurgiões que se disponibilizaram a ajudar
Ela diz que se sente muito melhor, e diz que não tem palavras para descrever quão grande é sua gratidão.
Veja abaixo




Imprimir