Polícia investiga mensagens com ameaças de balas envenenadas em suposto desafio da baleia azul

20 de abril de 2017

Uma mensagem que circula pelo Whatsapp ameaçando estudantes de escolas de  Minas Gerais, gerou pânico entre os pais dos alunos.
 
O texto diz que um dos desafios propostos pelo macabro "jogo da baleia azul" seria envenenar 30 crianças e que a Escola Estadual Nilo Morais Pinheiro seria o alvo escolhido pelo adolescente desafiado. A Polícia Militar está investigando o caso para chegar ao autor da mensagem e a suposta ligação com o jogo, que estimula seus participantes a cometer atrocidades levando até mesmo ao suicídio.


O diretor da escola relatada nas mensagens , Robson Nogueira, contou que assim que a instituição tomou conhecimento da ameaça, convocou uma reunião para decidir quais medidas seriam tomadas. A escola que conta com cerca de 800 alunos teve sua segurança reforçada. Além disso, os alunos foram alertados a não aceitarem nenhum tipo de doce, já que o texto afirmava que o envenenamento ocorreria atráves de balas.

— Começamos a receber mensagens dos pais preocupados conforme a mensagem era compartilhada, mas a situação manteve-se tranquila e as aulas foram mantidas. Apesar disso,muitos pais foram buscar os filhos na escola devido ao medo — afirmou o diretor.

O diretor da escola e o tenente chamaram atenção para o fato de que envenenamento de terceiros é uma prática que não está vinculada aos casos já observados do desafio da Baleia Azul, cuja principal preocupação social está relacionada à automutilação e ao suicídio.

— Desconfiei que a mensagem de uma pessoa alegando participar do Baleia Azul fosse falsa porque já havíamos recebido o mesmo texto, mas vindo de outros lugares. A única diferença era que mudaram o nome da cidade e das escolas — afirmou Fernandes.
A Polícia Militar aumentou o patrulhamento nos aredores das escolas da região, principalmente, nos horários de entrada e saída dos alunos.
— Acreditamos que tenha sido uma brincadeira mau gosto, mas o policiamento foi implementado com maior efetividade — disse, ressaltando que não há casos de participação do desafio em Ipanema.

Vale salientar para que os pais monitorem seus filhos. Fiquem atentos em suas redes sociais, e a qualquer mudança repentina de comportamento.

 Fonte e créditos: Extra





Imprimir