Refugiado Sírio é atacado enquanto trabalhava em Copacabana "Saia do meu país" gritava o agressor

3 de agosto de 2017
Um vídeo foi publicado nas redes sociais para denunciar a agressão a um refugiado sírio em Copacabana, ... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2017/08/03/refugiado-sirio-e-e-agredido-enquanto-vendia-esfihas-em-copacabana.htm?cmpid=copiaecola

Um vídeo postado nas redes sociais mostra um homem atacando um refugiado sírio em copacabana, Rj, enquanto trabalhava vendendo esfirras...
 
Mohamed Ali, de 33 anos, que vende esfirras e outros quitutes árabes, e foi agredido verbalmente e ameaçado com pedaços de madeira por um homem por causa do ponto de venda na zona sul do Rio de janeiro.

Nas imagens o homem que ainda não foi identificado grita incansavelmente a frase "Saia do meu país. Eu sou brasileiro e estou vendo meu país ser invadido por estes homens-bombas miseráveis que matam crianças, adolescentes, São miseráveis, vamos expulsar ele". 


Os comerciantes chegam a jogar as mercadorias de Mohamed no chão, que pergunta o motivo da agressão. Os homens, então, falam novamente para ele sair do Brasil. Mohamed está no Brasil há três anos e estava trabalhando na esquina da Avenida Nossa Senhora de Copacabana com a Rua Santa Clara na sexta-feira, quando tudo aconteceu.
— Eu não entendi muito bem porque ele veio brigar comigo. De repente ele começou a gritar e me pedir para sair. Ele falava muito rápido e não consegui compreender algumas coisas. Outras pessoas que estavam traduzindo para mim. Sei que ele falou que os muçulmanos estavam invadindo o país e falando de homens-bomba. Não esperava que isso pudesse acontecer comigo. Vim para o Brasil porque a guerra me fez vir para cá. Vim com amor, porque os amigos sempre diziam que o Brasil aceita muito outras culturas e religiões, e as pessoas são amáveis e todos os refugiados procuram paz. Não sou terrorista, se eu fosse, eu não estaria aqui, estaria ldisse.

Algumas pessoas que assistiam a cena de agressão tentaram apaziguar a situação e intercederem a favor de Mohamed, pedindo até mesmo desculpas em nome do povo brasileiro.

O rapaz disse ainda que não pretende sair do Brasil apesar do ocorrido.
Ele trocou o ponto onde trabalhava para evitar encontrar novamente o agressor, pois tem medo de novos ataques.
Ele não prestou queixa, mas o delegado  títular da 12Dª DP disse ter conhecimento das imagens mas que para que a policia atue seria necessário a acusação da vítima.
De qualquer forma o delegado esta analisando as imagens para tentar encontrar o agressor. 

Um vídeo foi publicado nas redes sociais para denunciar a agressão a um refugiado sírio em Copacabana, na zona sul do Rio. ... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2017/08/03/refugiado-sirio-e-e-agredido-enquanto-vendia-esfihas-em-copacabana.htm?cmpid=copiaecola
Um vídeo foi publicado nas redes sociais para denunciar a agressão a um refugiado sírio em Copacabana, na zona sul do Rio. ... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2017/08/03/refugiado-sirio-e-e-agredido-enquanto-vendia-esfihas-em-copacabana.htm?cmpid=copiaecola

Imprimir